Cansei de ser Brasileiro .

Posted: 14 Maio 2012 in Opinião, Política

Gente, não dá, não quero mais brincar de ser brasileiro. Estou cansado da pátria de chuteiras. Cansei do ufano patriotismo safado de dizer que o Brasil é o país do futuro. Que porra de futuro é esse onde uma geração de jovens está sendo tratada como números, onde se passa de ano na escola por atacado, sem merecimento algum, apenas para fazer a contabilidade política na tentativa de alavancar o país no ranking da UNESCO? Onde jovens são beneficiados em universidades apenas pela cor da pele e não pelo esforço em estudar, mesmo que em condições precárias nas sucateadas escolas públicas da pocilga. Tem muita gente boa chegando a universidade por merecimento e por esforço, gente que acaba caindo por conta de paternalismo de governos populistas que acreditam que dar vaga em cotas é se redmir de quinhentos anos de opressão e descaso com populações inteiras, onde o pobre continua pobre e oprimido. Nunca fizeram nada por esse grupo social, e inventaram de transformar uma legião de semi alfabetizados em doutores.

E para um povo que nunca teve oportunidade de estudar, o que vale é ter um filho dotô, mesmo que ele não consiga emprego em sua área de formação por conta de suas deficiências no ensino básico. Se começarmos hoje a pensar em educação com seriedade, levaremos uns quarenta anos para atingir níveis satisfatórios de educação e cidadania. País do futuro… sei. Não vejo futuro para um país onde se premia a vagabundagem em troca de votos para a perpetuação no poder de gente que visivelmente odeia o Brasil. Pois se amassem certamente não permitiriam que se chegasse a tanto em matéria de corrupção e bandalheira. Somos um povo do salve-se quem puder.

Se o meu problema estiver resolvido, phoda-se o problema do meu vizinho. Solidariedade no Brasil, só quando acontecem tragédias onde morram centenas de pessoas, aí o sentimento de brasilidade solidário vem à tona e por algumas semanas o povo se propõe a ajudar o próprio povo. Mas é só. Nada de solidariedade em busca de responsabilizar os políticos que deixaram com que as tragédias acontecessem, afinal isso é posicionamento político, e o brasileiro médio seja ele analfabeto ou doutor em alguma coisa, sempre pensa em acender uma vela para Deus e outra para o Diabo, pois ele nunca sabe quem vai estar no poder no dia em que precisar de um favorzinho do estado ou do tão sonhado emprego público, seja concursado ou pelo famigerado “QI”.

Ao invés da população sair em busca de um país melhor, se cala, e na época de eleição se propõe a fazer trabalho eleitoral para aquele vereador safado que deveria estar na cadeia por maracutaias fraudes ou superfaturamentos, mas na verdade consegue os votos dos iludidos de sempre à espera de um carguinho na prefeitura. O eleitor não se posiciona sempre esperando o momento de conseguir alguma regalia ou colocação.

O Brasil é o país do futuro?

Pode ser, nosso território é do futuro, temos água em abundância, temos extensão territorial para plantar alimentos para o mundo, temos riquezas, temos petróleo, mas não temos um povo educado e cidadão.
No futuro e na globalização, os educados e cidadãos irão dominar os burros e ufano-patriotas. Não existirá direita e esquerda, mas sim os dominadores e os oprimidos.

Ou alguém ainda acha que o Brasil é festejado pelo mundo por quê? O planeta sabe da malemolência, da indigência e da indolência de um povo rico naturalmente, mas pobre sócio-espirito-cultural.

Temos que cuidar melhor de nossos jovens para que no futuro eles não sejam subjugados pelas nações mais avançadas que virão em busca de nossa água e alimentos.

E o país que quer uma comissão da verdade para resgatar a revanche dos que perderam a revolução de um grupo que usavam as palavras burguesia e imperialismo para doutrinar os mais abestados, vai continuar ajoelhado diante dos poderosos como colonizados e escravizados.

Cansei de ver uma classe política que deveria preservar os interesses do país, lutando feito lobos famintos por uma carcaça podre.

Roubam, enganam, desviam, assaltam, superfaturam, fazem o máximo que podem para enriquecer, não existe ideologia séria, existe o tudo pelo poder com fins de enriquecerem, Lenin, Marx, Gramsci, Fidel, capitalismo, direita, esquerda são apenas fumaça para desviar a atenção para a bandalheira e meios de justificar a safadeza em nome de ideologias. Que na verdade a única que é válida é o dinheiro pelo dinheiro e o poder pelo dinheiro.

Estou cansado de olhar a televisão e ver um bando de engravatados no congresso apontando os sujos dedos para um companheiro caído, pego com a boca na botija, como se os que o acusam fossem os arautos da ética e da moralidade. Hipócritas!!!

São tão bandidos quanto aquele que acusam, mas aproveitam o momento para passar o atestado de idoniedade para eleitor otário que acredita em Papai Noel.

Estou cansado de ouvir que somos a sexta economia do mundo, e quando olho para o povo mais humilde vejo a falta de perpectiva em dias melhores, um futuro incerto sem educação e sem saúde. Mas todos com celular na mão e TV de “prasma” no barraco.

Estou cansado de ouvir dizer que a seca no Nordeste é a maior dos últimos quarenta anos, e os governos despejando bilhões de reais há décadas para não resolver porra nenhuma. O povo continua oprimido e com sede e fome, mas com o título de eleitor em dia.

Estou cansado de ver um povo que só sabe falar em futebol. Que enche estádios a cada jogo que vibra com amor ao time de fazer inveja aos patriotas que amam o Brasil mas, infelizmente são tão poucos que não conseguem mudar nada, nem pelo voto e muito menos pelo posicionamento político.

Vamos cair na real?

Se começarmos a mexer a bunda ainda que hoje, não existe uma mínima chance de vermos nossos tataranetos vivendo em um país digno com educação e qualidade de vida compatíveis com a sexta economia do mundo.

Toda essa conversa de ranking econômico, de ultrapassarmos a Inglaterra e estarmos nos aproximando do Japão, não resultam em porra nenhuma para a população. Essas colocações são apenas usadas para fazer política vagabunda onde se prega um avanço econômico em um país de TERCEIRO MUNDO, apesar desse termo ter deixado de existir, ao menos para classificação mundial das nações.

Estou cansado de ver os superiores tribunais do país fazendo julgamentos de bandoleiros aliados ao que há de pior na política tupiniquim e invariavelmente os mesmos sempre se livram das garras da justiça por apadrinhamento, por incompetência, ou mesmo por má-fé de juízes que julgam apenas o legal, mas jamais o moral. E nossas leis são imorais demais para serem minimamente legais.

Estou cansado de ver a nulidade e o vazio darem o tom para uma sociedade que é medida pelo carro que possui, pelo celular que carrega, ou mesmo pelas marcas em suas vestes.

O Brasil do TER enterrou o Brasil do SER.

E a cada jornal que leio, a cada noticiário que assisto, a cada blog que acompanho, percebo ainda mais que os que lutam por um Brasil melhor estão perdendo um tempo incrível, onde deveriam tocar o PHODA-SE e se alienar para ser feliz.

Cansei de tentar passar aos meus filhos educação e diretrizes de vida digna, onde a honestidade e a educação, o trabalho, respeito as leis e ao próximo são as molas propulsoras para uma vida melhor.

E quando eles olham para a TV e veem o que está acontecendo nos corredores e bastidores da política, onde a malandragem a roubalheira e a vagabundagem são o caminho para o sucesso.

Onde estudar não está com nada desde que você seja cotista. Onde estar em uma universidade pública não é sinônimo de estudar com seriedade, afinal fumar maconha é muito mais legal do que aprender.

Quando eles olham para a frente e tudo aquilo que eu cansei de ensinar é justamente o oposto que se prega na sociedade para “ser feliz”, eles, na imaturidade da juventude e na falta de experiência de vida, ficam confusos e desanimados.

E eu percebo que eles não estão nem aí para o Brasil, quando os três chegam para mim e dizem: “Pai, em quem você vai votar?”

E quando respondo em ninguém, eles dizem, então vamos votar em ninguém também.

Eu, na idade deles, tinha meus ideais políticos e planos para o futuro, eles estão alienados por uma sociedade de consumo, onde o jovem é proibido de pensar em política. O jovem tem a obrigação de ser feliz.

E percebo que isso é o resultado da minha geração que estragou a geração deles, onde nos desdobramos em dar o máximo possível para que eles garantissem o futuro, e deixamos de tomar conta de nosso próprio futuro. E sem o nosso futuro definido, o deles é ainda mais incerto.

E no país em que celebridade é um mediocrezinho jogador de bola que mal sabe escrever o próprio nome, onde um ex-presidente se ufanava em ser semianalfabeto, onde a ética e a honestidade, o merecimento e o esforço perdem a vez para a burra brasilidade da lei de Gerson. Eu cansei de ser brasileiro.

Reproduzido na íntegra por: O Mascate, 11-05-2012.
Anúncios

Os comentários estão fechados.