O que é Violência e Agressividade . Psicologia .

Posted: 5 Maio 2012 in Artigos
Etiquetas:, ,

O QUE É VIOLÊNCIA SOB A ÓPTICA DA PSICOLOGIA?

A violência é um fator intrínseco do ser humano. Segundo a psicologia, a violência está presente em todas as pessoas instintivamente e sem distinção. Porém, existem aquelas pessoas com ampla calma e tranqüilidade que não aparentam e nem se apresentam violentas. A explicação para isso é que, sim, todos nós somos violentos, porém umas em grau acentuado e outras em grau atenuado.

Este fenômeno (violência) é uma aptidão inata de sobrevivência; uma tendência natural impulsionada pela conservação da vida, ou seja, um instinto natural.

A violência, sem resquícios de dúvidas, está associada a diversos contextos da interação do indivíduo com o ambiente, influenciando o funcionamento humano e os resultados comportamentais do desenvolvimento[1].

Em definição ampla, violência é qualquer ação física ou não física que é repudiada pelo meio social e que é também prevista em lei. Vale salientar a relevância de não confundir violência com agressão. Agressividade é qualquer ato também repudiado pelos costumes sociais, porém não previsto em diploma legal. Enquanto violência é um crime, agressividade não passa mera “falta de educação”, e, ausência de catequização comportamental não é crime.

É sabido que o ato violento e agressivo está presente em todos os seres humanos sem exceção, porém, deve-se saber também que é imprescindível que este ato seja amenizado por meio de educação e tratamento adequado diante de um cenário que apresente violência. O indivíduo que tem suas necessidades e desejos satisfeitos por meio da violência e agressividade aprende que este (comportamento) é um caminho funcional e vai aplicá-lo a qualquer situação. Por exemplo, uma criança que deseja um brinquedo de uma loja, e para tê-lo faz um escândalo e ofende seu tutor que, imediatamente, compra o brinquedo, atendendo o desejo agressivo da criança apenas para se livrar daquela situação constrangedora, faz a criança perceber que por meio de violência e agressão pode conquistar as coisas e satisfazer suas vontades. A partir desse momento, a criança vai aplicar tal estratégia não somente para conseguir um brinquedo, mas para qualquer situação de sua vida.

Consonante com a inteligência da psicologia, são cinco os tipos de violência capazes de serem produzidos. Listemos:

  • Violência Física:

A violência física é o uso da força com o objetivo de ferir, deixando ou não marcas evidentes. São comuns, murros, estalos e agressões com diversos objetos e queimaduras. A violência física pode ser agravada quando o agressor está sob o efeito do álcool, ou quando possui uma Embriagues Patológica ou um Transtorno Explosivo.

  • Violência Psicológica:

A violência psicológica ou agressão emocional, tão ou mais prejudicial que a física, é caracterizada pela rejeição, depreciação, discriminação, humilhação, desrespeito e punições exageradas. É uma violência que não deixa marcas corporais visíveis, mas emocionalmente provoca cicatrizes para toda a vida.
Existem várias formas de violência psicológica, como a mobilização emocional da vítima para satisfazer a necessidade de atenção, carinho e de importância, ou como a agressão dissimulada, em que o agressor tenta fazer com que a vítima se sinta inferior, dependente e culpada.

A atitude de oposição e aversão também é um caso de violência psicológica, em que o agressor toma certas atitudes com o intuito de provocar ou menosprezar a vítima. As ameaças de mortes também são um caso de violência psicológica.

  • Violência sexual:

Violência na qual o agressor abusa do poder que tem sobre a vítima para obter gratificação sexual, sem o seu consentimento, sendo induzida ou obrigada a práticas sexuais com ou sem violência física A violência sexual acaba por englobar o medo, a vergonha e a culpa sentidos pela vítima, mesmo naquelas que acabam por denunciar o agressor, por essa razão, a ocorrência destes crimes tende a ser ocultada.

  • Negligência:

A negligência é o acto de omissão do responsável pela criança/idoso/outra (pessoa dependente de outrem) em proporcionar as necessidades básicas, necessárias para a sua sobrevivência, para o seu desenvolvimento.

Os danos causados pela negligência podem ser permanentes e graves.

 

 –

REFERÊNCIAS.

[1] Dessen, Maria A., Áderson L. Costa Jr COSTA JUNIOR, Áderson L.. A Ciência do Desenvolvimento Humano. 0. VitalSource Bookshelf. ArtMed, 2005.

http://www.abrapia.org.br/homepage/tipos_de_violencia/tipos_de_violencia.html
http://mapadocrime.com.sapo.pt/tipos%20de%20violencia.html

Anúncios

Os comentários estão fechados.